SHIHAN PEDRO BELTRAN

SHIHAN PEDRO BELTRAN 8ª DAN –

PRESIDENTE INTERNATIONAL FUNDADOR DA

INTERNATIONAL SEISHIN KYOKUSHIN KARATE ORGANIZATION

O Shihan Pere Lluís Beltran (Badalona, ​​1951), é um dos veteranos do Kyokushin europeu. Depois de praticar wrestling e outros esportes de contato, ele começou a praticar Karate em 1969 sob os ensinamentos do Mestre Raymond Thomas. Entre outras posições, ele foi delegado na Catalunha estilo Kyokushin, diretor da Federação Catalã de Karatê e responsável em Espanha pela Organização Internacional de Karatê Kyokushin Kaikan. O fundador do Kyokushin, Masutasu Oyama, concedeu-lhe o título de chefe de filial. Atualmente é 7º Dan de Karate Kyokushin, Mestre, instrutor e árbitro internacional.

Quando chegamos ao Belsa Dojo Badalona, ​​pelo Mestre Beltrán, para realizar a entrevista, vemos no tapete o Sempai Pilar Torrecillas, esposa do Mestre, transmitindo a aula ao mais novo do dojo. À medida que nos aproximamos, podemos ver na parede inúmeras fotografias na forma de uma martial-back martial em que podemos ver o professor retratado em karategi junto com muitas lendas de artes marciais, entre elas podemos ver Raymond Thomas, Jon Bluming, Steve Arneil, Shigeru Oyama, Loeck Hollander, Daigo Oishi, Kazuyuki Hasegawa, Akira Masuda, Tadashi Azuma, Shigeru Tabata, Roland Hernáez … e uma lista interminável de personalidades marciais. Não há dúvida de que estamos com uma instituição dentro do Kyokushin nacional.

Como você conheceu o Karate?
Bem, quando eu estava praticando a luta greco-romana e livre no Pietx Gymnasium em Badalona (1968), um cavalheiro francês (Shihan Raymond Thomas) apareceu no nosso ginásio que veio para dar uma exposição de uma “coisa” chamada Karate, de origem japonesa , e isso não tinha nada a ver com o Judo, que era a única luta japonesa que todos sabiam até então, e como eu estava muito interessado em todos os tipos de luta eu fui ver e fiquei tão impressionado com a diferença com o que estava fazendo o que eu decidi tentar. Por algum tempo, compartilhei as duas atividades, até que em 1969 eu decidi dedicar-me exclusivamente à prática do Karaté. Devo dizer que, naquele momento, não havia conhecimento diferenciado entre estilos e, embora fosse Kyokushin, ninguém naquela época falava de estilos, mas simplesmente de Karate.